Home » Espiritismo

O bom ânimo vai mudar o mundo

Enviado por on 04/11/2009 – 00:35

— Apesar de envolvido pelas vibrações de Jesus, Bartolomeu, seu discípulo, sentia-se angustiado, por vezes triste. E nós mesmos nos vemos assim, muitas vezes. E por quê?

— Porque fundamentalmente ainda não aprendemos a perdoar. A entender a fraqueza dos outros.

— Só aprendemos a perdoar a nós mesmos quando aprendemos a perdoar o próximo. Quando entendemos que todas as dificuldades são motivos de crescimento, remédios de que precisamos para curar nossas doenças morais.

— Quando olho para os problemas como aprendizado, penso: “Se eu tenho defeitos, meu próximo também tem o direito de ter”. Eu então não sofro nem pelos meus defeitos, nem pelos defeitos dos outros. O que faço é aprender a socorrer, dentro das minhas possibilidades, o nosso próximo, para aliviar seu sofrimento. A partir daí não vou mais ficar triste.

— Bartolomeu sentia-se triste porque se preocupava com as coisas ruins. E o que acontece com a gente quando agimos assim? Eu não tenho tempo para pensar nas coisas boas!

— Existem poucos canais de TV com bons programas. Você conhece? Você assiste? Ou só assiste a programas de fofocas e os que falam de coisas ruins?

— Existem políticos honestos. Você os conhece? Ou você vota em qualquer um, porque acha que todos são desonestos?

— Quantos professores ganham salários baixos e dão seu suor pensando em seus alunos? Isso é ruim? Quantas merendeiras trabalham nas escolas, e para muitas das crianças aquela vai ser a única refeição do dia… você pensa nisso?

— E aqueles industriais que deixam de ganhar tudo o que poderiam ganhar para não ter de demitir seus funcionários? Você pensa que não há desses, mas a maioria é assim!

— Valorizando as coisas boas é que vamos mudar o mundo. Enquanto só valorizarmos o que é ruim, não vamos mudar o mundo.

— Você tem que fiscalizar o político? Ora, tem, já que você votou nele. Mas se você votou e o político não fez o que prometeu, a culpa é do político, não sua. Em vez de falar mal, ore por ele.

— Ao perder tempo com o que é ruim, você se torna co-responsável, admirador do mal. O que está errado, não posso fazer. O que devo fazer então? Devo fazer o bem.

— Como as pessoas podem se vacinar contra o lado ruim das coisas? Basta procurar o que convém.

— Por exemplo: está passando um filme na TV. A maioria dos filmes são de violência. Mude de canal. Ou desligue a TV e busque fazer outra coisa. Aos poucos, quando as pessoas não procurarem mais esse tipo de filme, ele para de existir.

— Pense no bom exemplo que você, pai, você, mãe, precisa dar a seu filho. Compare um desenho animado de hoje aos desenhos de 30, 40 anos atrás. Hoje são desenhos de guerra, de monstros. É preciso evitar que as crianças assistam a isso, se queremos que elas sejam pacíficas e felizes.

— Boas notícias sempre trazem alegria. E Evangelho quer dizer “Boa Notícia”.

— Jesus quis, com o Evangelho, ensinar a nós o caminho da felicidade. Com isso, transformou bilhões de espíritos que já estão em planos superiores ou em outros mundos. Para ele, o que importa é se você está praticando a Caridade. Se você está fazendo todo o bem que pode. Se você está aliviando o sofrimento de seu irmão.

— Jesus quer que tenhamos sempre bom ânimo. Quem tem bom ânimo pensa em coisas boas, e não tem tempo para as ruins.

— Jesus disse que seu Reino não era deste mundo, ou seja, que seus ensinos não eram praticados no plano físico —mas sabe que um dia serão. Ele tem certeza disso. Mas o Evangelho terá de florescer nas criaturas. Cada um tem que praticar a Caridade e fazer sua reforma íntima. Quando a maioria estiver habituada à prática da caridade, mesmo os que não estão vão acabar aprendendo.

— Não devemos duvidar, então. Nosso coração deve estar cheio de júbilo, porque estamos unidos aprendendo a praticar o Evangelho.

Palestra conferida por André Luiz (espírito) em São Paulo no dia 4/11/2009, comentando o capítulo 8 (Bom Ânimo) do livro “Boa Nova”, de Humberto de Campos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: