Home » Artigos, Espiritualismo

Vampirismo e sincretismo católico-espírita

Enviado por on 10/12/2011 – 22:04
Vvvracer/CC
  1. O que é esse tal de “sincretismo”?
  2. Em palavras bem simples, sincretismo é quando você pega duas ideias parecidas, porém diferentes, mistura tudo e cria uma nova ideia.

     

  3. Você pode dar um exemplo de sincretismo?
  4. a)   Até mais ou menos o ano 300, os Cristãos seguiram os ensinamentos de Jesus;

    b)   A partir de então, começaram a misturar Cristianismo com Mitologia Romana;

    c)   Começaram a fazer coisas que nada tinham a ver com o Cristianismo;

    d)   Apesar de terem deixado de fazer quase tudo que Jesus ensinou, continuaram a se chamar de Cristãos;

    e)  Surgiu então a Igreja Católica, que é um sincretismo entre o Cristianismo e a Mitologia Romana;

    f)   É preciso dizer que todas as atuais vertentes do Cristianismo são também sincretismos.

     

  5. Mas o Espiritismo não é Cristão?
  6. Sim.

     

  7. Ele não veio restabelecer o Cristianismo de Jesus?
  8. a)   Esta é a principal razão de sua existência;

    b)   Além é claro de completar os ensinos de Jesus.

     

  9. Então o Espiritismo não é sincretismo…
  10. a)   Engano seu;

    b)   É pouco, mas ainda é;

    c)   Só deixará de ser quando for completado em suas fases finais.

     

  11. Fases finais do Espiritismo? Não entendi nada…
  12. a)   Basta ler a Codificação para ver que existe na obra de Allan Kardec uma mistura entre os conceitos espíritas que começam a surgir e a cultura católica da época;

    b)   Agora chegou a hora de removermos toda essa influência mitológica da Codificação.

     

     

  13. Quer dizer que Allan Kardec errou, mesmo assistido por Espíritos superiores, e agora vocês querem corrigir esses erros? Não é muito arriscado?
  14. a)   Arriscado é deixar que tais erros continuem na Codificação;

    b)   O que permitirá que o sincretismo Católico continue a influenciar nossa Doutrina, desfigurando-a.

     

  15. Mas já vi um monte de gente querer “atualizar” Allan Kardec e acabar desfigurando a Doutrina também. Em que você pretende se basear para esse trabalho dar certo?
  16. a)   Na genialidade do próprio Kardec, quando ele nos colocou o postulado da Fé Racional;

    b)   Especialmente na seguinte colocação de “A Gênese” (capítulo II, item 19): “Em Filosofia, em Psicologia, em moral e em religião, nada há de verdadeiro se não estiver conforme as qualidades essenciais da divindade”.

     

  17. É por isso que vocês estão estudando os Atributos de Deus?
  18. Exatamente, e você pode acompanhar um pouco aqui: “Atributos de Deus: como nosso Paizão é, de verdade“.

     

  19. Você falou Postulado. O que é isso?
  20. a)   São os ensinos espíritas que são verdades absolutas, que não há como mexer;

    b)   Só que diferente dos dogmas da Igreja, que vêm da mitologia e de interesses comerciais, os postulados espíritas são demonstrados com o uso da Ciência e da razão.

     

  21. Quais são os Postulados Espíritas?
  22. Daremos os principais:

    a)   “Fora da Caridade não há salvação”;

    b)   Fé Racional;

    c)   Existência de Deus como Ser Supremo;

    d)   Lei da Reencarnação (e não ressurreição do corpo físico);

    e)   Lei de Causa e Efeito, também conhecida como Ação e Reação;

    f)   Lei do Livre Arbítrio;

    g)   Existência dos Espíritos;

    h)   Imortalidade dos Espíritos;

    i)   Evolução Espiritual para todos;

    j)   Impossibilidade de o Espírito regredir (todo aprendizado para o bem é eterno);

    k)   Existência dos Espíritos Crísticos, como Jesus;

    l)   Inexistência de Espírito Santo e da Santíssima Trindade;

    m) Inexistência de infernos e de demônios;

    n)   Que sempre resgataremos nossos males pela prática do amor ao próximo.

     

  23. Como garantir que tudo isso é certo?
  24. a)   Com grande genialidade e espírito científico, Kardec não desenvolveu teorias para explicar os fenômenos Espíritas;

    b)   Ele observou os fatos e os explicou provando a sua realidade;

    c)   Além de Kardec, centenas de outros cientistas do fim do século 19 e começo do 20, também o fizeram;

    d)   Existe uma ciência ortodoxa, que foi elaborada da mesma forma: a Termodinâmica. Nunca foi possível alterar seus postulados;

    e)   O mesmo acontece com o Espiritismo: por mais que se tente, não se consegue provar que seus postulados estão errados;

    f)   Se você analisá-los, verá que todos estão em perfeito acordo com os Atributos de Deus.

     

  25. Então como é que pode haver erros na Codificação Espírita?
  26. a)   Porque diversos trechos de livros como “O Livro dos Espíritos” ou “O Evangelho Segundo o Espiritismo” contrariam os atributos de Deus;

    b)   Por exemplo: em diversas perguntas de “O Livro dos Espíritos”, as respostas conferidas à Kardec por Espíritos Superiores dão a entender que Deus julga;

    c)   Sendo onisciente, Deus sabe o resultado de tudo o que faz, muito antes de acontecer;

    d)   Mas só precisa julgar, quem precisa confirmar se o que aconteceu está certo ou não;

    e)   Por sua onisciência, Deus não precisa julgar o que já sabe com antecedência, ou então Deus não seria onisciente;

    f)   O que é mais provável: que Deus não seja onisciente ou que a resposta de “O Livro dos Espíritos” esteja errada?

     

  27. Poxa! É mesmo! Você está querendo dizer que a maior parte dos erros da Codificação Espírita tem a ver com esse tal de sincretismo?
  28. a)   Exatamente. Isso tudo vem desde a época de Kardec e continuou com a transferência da Doutrina para o Brasil;

    b)   Os espíritas e simpatizantes (em sua maioria, católicos) nunca se conformaram com a perda do diabo;

    c)   Isso porque, por mais de quinze séculos, as igrejas Cristãs colocaram a culpa pelos seus erros no pobre diabo;

    d)   E nós nos acomodamos com tal ideia, pondo nos demônios a culpa pelas nossas maldades;

    e)   Pelo menos tínhamos com quem dividir a responsabilidade, e bastava confessarmos, que a culpa ia toda para Satanás e ficávamos livres;

    f)   Aí vem Kardec, diz e prova que não é nada disso —matou o diabo e deixou toda responsabilidade conosco;

    g)   Chegando ao Brasil, o Espiritismo encontra um solo fundamentalmente católico, com traços das igrejas protestantes;

    h)   No que deu? Em um bolo recheado de obsessores, e novamente tínhamos com quem dividir nossas culpas;

    i)   Completando ainda com o Umbral e as Trevas, pois era necessário recriar o purgatório e o inferno.

     

  29. Você está dizendo que não existem obsessores, umbral e trevas?
  30. a)   Claro que existem, mas o que está errado é o foco que damos a eles;

    b)   Os obsessores não são responsáveis por nossas mazelas;

    c)   É nosso comportamento que os atrai;

    d)   Se não abrirmos a porta, eles não entrarão;

    e)   E a chave de nossa porta se chama Evangelho em nossa reforma íntima;

    f)   Só atraímos os obsessores por nosso comportamento errado;

    g)   Logo os obsessores somos nós, e não eles.

     

  31. Comecei a ficar preocupado! E o Umbral?
  32. a)   Com esse sincretismo demoníaco-infernal, além de não nos livrarmos dos obsessores, ainda fixamos nossas mentes com tanta força no Umbral que esquecemos que Deus é amor e perdão;

    b)   Se Deus não julga, menos ainda condena —ele sempre nos encaminhará para a trilha do amor, mesmo na correção dos maiores erros;

    c)   O sincretismo nos afasta desse Deus amor, e nos faz sentir medo e culpa, ao invés de um sincero desejo de nos corrigir;

    d)  Se formos humildes em reconhecer nossos erros e com sinceridade buscarmos corrigi-los, por que precisaríamos passar por sofrimentos?

    e)   Entendeu o sincretismo e seus efeitos?

     

  33. Entendi! Quer dizer que o sincretismo nos faz focar o aspecto negativo de Deus e das coisas, ao invés do positivo, não é?
  34. a)   Isso mesmo. O sincretismo nos faz continuar a olhar para Deus como o Deus terror;

    b)   Quando Jesus o mostrou como o Deus Amor;

    c)   E o Espírito da Verdade veio recordar, através do Espiritismo, que Deus também é o Consolador;

    d)   E o pior, é que com nosso foco no negativismo, continuamos realimentando fluidicamente esses ambientes, em vez de esvaziá-los focando sempre no bem.

     

  35. E os vampiros espirituais?
  36. a)   Eles são os mais prejudicados;

    b)   Com essa atitude negativa, continuamos fornecendo a eles fluidos etéricos, para que se realimentem, ajudando-os a prolongar essas condições;

    c)   Além de realimentar seus medos, pois também veem Deus como alguém que castiga;

    d)   Fazendo-os acreditar que terão de passar por tudo o que fizeram de mal;

    e)   Tudo seria diferente se focássemos no bem, pois estaríamos mostrando a eles como mudar sua situação;

    f)   No entanto, por causa de tal cultura satânica, ficamos morrendo de medo só em ouvir falar deles, quando na realidade eles precisam de nosso carinho, respeito e amor;

    g)   Basta nossa vibração de amor para tirá-los de suas condições e aparências dantescas.

     

  37. Quer dizer então que se eu mudar a visão que tenho de Deus estarei protegido de obsessores?

a)   Ao mudar sua visão sobre Deus, você não precisará mais estar “protegido”;

b)   Em vez de precisar se “proteger” de irmãos menos esclarecidos, você passará a ajudá-los a encontrar a verdade;

c)   O problema do vampirismo é simples;

d)   O que é urgente é colocarmos a verdade do Deus Amor, do Deus Consolador, rigorosamente de acordo com seus atributos;

e)   Para definitivamente colocarmos nosso foco no bem;

f)   Pois é esta a vontade que teremos que ter, se quisermos ficar por aqui no Ciclo de Regeneração;

g)   Como temos a certeza de que o Espiritismo não veio para falhar;

h)   Com Jesus e o Espírito da Verdade, tudo se resolverá.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: