Home » Boa Nova, Estudos

Para Jesus, Evangelho é Caridade, não Religião

Enviado por on 17/06/2013 – 23:25
CC/Itchster

Vamos estudar o livro “Boa Nova”, de Humberto de Campos (Espírito)? Estamos no capítulo 17, que nos leva a interessante diálogo entre o Mestre Jesus e uma mulher samaritana, ao lado do poço de Jacó (veja o estudo de outros capítulos).

 

  1. A moça samaritana estranha a atitude de Jesus ao lhe pedir água, já que judeus e samaritanos tinham sérias rivalidades entre si.
  2. a)   Este trecho mostra como Jesus agia sem pensar em rótulos, munido apenas da Caridade;

    b)   Também deixa claro que o Mestre, sabendo das dúvidas da jovem, procurou-a para esclarecê-la;

    c)    Naquele momento, Jesus mostra a ela a importância maior da vida espiritual, em relação à material: “Mulher, a água viva é aquela que sacia toda sede; vem do amor infinito de Deus e santifica as criaturas”.

    d)   Nesta afirmação, o Divino Mestre resume o trabalho que veio fazer;

    e)    Mostra-nos que, diferente de tudo que se conhecia, Deus é nosso Pai de amor;

    f)     Pois pela água viva desse seu amor, o Pai sempre nos santificará, levando-nos à perfeição.

     

  3. A jovem então desabafa, revelando a confusão enorme que se fazia, na época, sobre como cultuar a Deus: os samaritanos no monte da Samaria, e os judeus no templo de Jerusalém, entre outros desentendimentos.
  4. a)   Então o Mestre esclarece: “Tens razão. As divergências religiosas têm implantado a maior desunião entre os membros da grande família humana. Entretanto, o Pastor vem ao redil para reunir as ovelhas que os lobos dispersaram. Em verdade vos digo que virá um tempo em que não se adorará a Deus nem neste monte nem no templo de Jerusalém, porque o Pai é Espírito e só em Espírito deve ser adorado. Por isso, venho abrir o templo dos corações sinceros para que todo culto a Deus se converta em íntima comunhão entre o homem e o seu criador!”

    b)   Que afirmação de completo ecumenismo, mostrando que o Evangelho não veio criar religiões, e muito menos templos!

    c)    Mas veio nos ensinar o melhor caminho para fazermos de nossos corações o templo de Deus;

    d)   Esta é a única e verdadeira religião, pois é a melhor forma de entrarmos em comunhão com o Pai;

    e)    Mais que ser espírita, é preciso ser verdadeiramente cristão;

    f)     É assim que seremos neste novo Mundo de Regeneração, ao vivenciarmos o Evangelho restaurado em sua verdadeira pureza, pelo Espírito da Verdade e sua falange;

    g)   Atenção espíritas: em que tipos de samaritanos e fariseus estamos nos transformando, com todas as nossas desavenças?

    h)   E ainda com todo nosso elitismo, deixando Jesus para trás, com nosso orgulho e vaidade;

    i)     Como fica a Humildade?

    j)     E o Fora da Caridade não há Solução?

    k)    Onde nosso orgulho deixou a Fé Racional e os Atributos de Deus?

    l)     Afinal, quantos Espiritismos existem?

     

  5. Na sequência Jesus ensina a multidão. Quando os apóstolos insistem para que o Mestre se alimente, ele diz: “Antes de tudo, meu alimento é fazer a vontade daquele Pai misericordioso e justo que a este mundo me enviou, a fim de ensinar o seu amor e a sua verdade. Meu sustento é realizar a sua obra.”
  6. a)   Ao dizer “Meu alimento é fazer a vontade de meu Pai”, Jesus não estava recomendando o jejum absoluto —mas dizendo, de outra maneira: “Buscai o amor de Deus e sua justiça, e o resto vos será dado por acréscimo…”

    b)   O primeiro foco do homem encarnado deve ser a vida espiritual, e não as necessidades materiais;

    c)    Se Deus nos ama, buscar ser como ele é amarmos nosso próximo, pela prática da Caridade;

    d)   Não só amarmos, mas também os tratarmos com justiça, pela prática da Humildade;

    e)    Pois pela Humildade os veremos como iguais, e estaremos sendo justos;

    f)     Com isso teremos saúde moral e evoluiremos pelo aprendizado da prática do amor, sendo sempre felizes;

    g)   E tudo o que precisarmos para sermos felizes será providenciado pelo amor e justiça de Deus.

     

  7. Mais à frente Jesus mostra que temos que respeitar a vontade de Deus, nunca desejando vitórias imediatas. É preciso esperar o tempo de assimilação de cada um.
  8. a)   Isso está nos desígnios de Deus, daí a necessidade de aguardar que sua vontade se cumpra;

    b)   O Pai sempre respeita nossa velocidade de assimilação, ao respeitar nosso livre-arbítrio;

    c)    Caso contrário, seria mais fácil ter nos criado já perfeitos, sem necessidade de evolução.

     

  9. Em seguida nosso Mestre mostra o quanto os apóstolos se enganaram ao pensar que haviam conquistado grande vitória entre os Samaritanos.

a)   Jesus convida os apóstolos a ouvir o que estavam pensando dele —aqueles que os seguiam duvidavam que Jesus fosse o Cristo e consideravam-no um aproveitador;

b)   Com isso, mostra a necessidade de distinguir realidade e aparência, além do desapego de resultados imediatos;

c)    Termina Jesus: “Por toda parte encontraremos samaritanos discutidores, atentos aos êxitos e referências do mundo. Observai a estrada para não cairdes, porque o discípulo do Evangelho não se pode preocupar senão com a vontade de Deus, com o seu trabalho sob as vistas do Pai e com a aprovação de sua consciência.”

d)   É preciso fazer o que temos que fazer, sem nunca nos preocuparmos com alheias reações.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: