Home » Boa Nova, Estudos

A importância da mulher para o Evangelho de Jesus

Enviado por on 30/07/2013 – 01:51
Reprodução/Internet

O capítulo 22 do livro “Boa Nova”, de Humberto de Campos (Espírito), fala da dificuldade de Pedro em entender a atitude de Jesus para com as mulheres que perverteram a sua existência.

(Perdeu os capítulos anteriores? Confira aqui o estudo completo do livro “Boa Nova”.)

O pescador de Cafarnaum compreendia as coisas apenas pela razão, e deixava os sentimentos de lado. Isso criava no apóstolo dificuldades em aceitar ideias novas, fazendo apegar-se à lei antiga. Então o Mestre explica que quase sempre não é a mulher que se perverte, mas o homem que lhe destrói a vida.

 

  1. Após algumas explicações sobre a lei antiga, Pedro pergunta a Jesus: “Quereis dizer então que a mulher é superior ao homem, na sua missão terrestre?” O Divino Amigo explica que as tarefas se equilibram no caminho da vida, mas quem recebeu a sagrada missão de gerar vida foi a mulher. E por isso ela tem maior peso na renovação da humanidade.
  2. Em seguida diz: “Por isso, as mulheres mais desventuradas ainda possuem no coração o gérmen divino para a redenção da humanidade inteira. Seu sentimento de ternura e humildade será, em todos os tempos, o grande roteiro para a iluminação do mundo, porque, sem o tesouro do sentimento, todas as obras da razão humana podem parecer como um castelo de falsos esplendores.”

    a)   O que nos redime e redimirá toda a humanidade será o sentimento, e não a pura e fria razão;

    b)   A maior prova disso é o materialismo, que com sua frieza racional, em nada mudou as relações humanas;

    c)    A razão é importante sim, mas para equilibrar o sentimento;

    d)   Porém a realidade nos mostra que sem ele, nada muda no comportamento humano;

    e)    A ponto de Jesus dizer que o sentimento de amor contido no coração da mulher será suficiente para redimir a humanidade inteira.

     

  3. Em seguida diz o Mestre: “E será ainda à mulher que buscaremos confiar a missão mais sublime na construção evangélica dentro dos corações, no supremo esforço de iluminar o mundo.”
  4. a)   Jesus estava antecipando o que aconteceria, se não houvesse as mulheres que o seguiam;

    b)   Chegada a hora do Calvário, se restassem apenas os homens, com seus preconceitos e raciocínios frágeis, não haveria a real compreensão da missão de Jesus na Terra;

    c)    Naquele momento, só o poder do coração que ama com muita intensidade seria capaz de entender tudo aquilo;

    d)   “O barco da fé só não soçobrara inteiramente, porque ali estavam as lágrimas do coração materno, trespassado de amarguras”;

    e)    Como previra Jesus, sem o coração materno e amoroso de Nossa Senhora, tudo se perderia, pois “só a fé ardente e o ardente amor conseguem vencer os abismos de sombra entre a Terra e o Céu”;

    f)     Só o ardente amor consegue entender uma atitude de renúncia tão sublime como a de Jesus;

    g)   Só pelo sentimento de amor conseguimos entender o supremo amor de Deus por todos nós, mesmo quando nos enterramos no lodaçal das paixões terrenas;

    h)   Só assim conseguiremos entender o Deus Amor de Jesus.

     

  5. É preciso lembrar também que foi a Maria Madalena, e não aos apóstolos, que o Mestre concedeu a sublime prova da ressurreição da vida após a morte, em Espírito.

a)   Maria Madalena havia conquistado a verdadeira noção de amor fraternal com Jesus (conheça a verdade sobre Jesus e Maria Madalena);

b)   “E só ele pode realizar os “milagres” supremos”;

c)    Ao visitar o túmulo do Mestre, eis que redivivo ele a chama: Maria!…

d)   “Instintivamente, Madalena se ajoelhou e recebeu o olhar do Mestre, num transbordamento de lágrimas de inexcedível ventura. Era a promessa de Jesus que se cumpria. A realidade da ressurreição (do Espírito) era a essência divina, que daria eternidade ao Cristianismo. Jesus ressuscitara! O Evangelho era a verdade imutável.”

e)    Novamente foi a mulher, com sua ardente capacidade de amar, que determinou a perpetuidade do Evangelho do Mestre;

f)     “Desde essa hora, a família cristã se movimentou no mundo, para nunca mais esquecer o exemplo do Messias”;

g)   “Pela prova dada por Jesus, da eterna realidade da vida do Espírito, a fé e o amor ardente de Maria Madalena ajudaram a banhar de imensa claridade a estrada cristã, por todos os séculos terrestres.”

h)   Como nos diz o “Boa Nova”, perguntamos com Ernest Renan: “Onde está o sábio da Terra que já deu ao mundo tanta alegria quanto a carinhosa Maria de Magdala?”

i)     O que seria do Evangelho sem o ardoroso amor de Nossa Senhora e de Maria Madalena?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: