Home » Boa Nova, Estudos

Por que Pedro negou que Jesus lhe lavasse os pés?

Enviado por on 22/09/2013 – 23:28
Reprodução

Com o estudo do capítulo 26 do livro “Boa Nova”, de Humberto de Campos (Espírito), podemos situar o início das negações do apóstolo Pedro já na Última Ceia.

Acompanhe conosco o estudo do livro Boa Nova capítulo a capítulo

 

  1. Quando chegou a vez de ter seus pés lavados, Pedro se negou a permitir.
  2. a)   Jesus se comportar como um escravo! Nunca com ele!

    b)   Infelizmente, isto é o que, em doutrina, poderíamos chamar de idolatria;

    c)    Com pode ser que um ser tão superior como Jesus se disponha a lavar meus pés?

    d)   Você já se perguntou que atitude tomaria no lugar de Pedro?

    e)    Você deixaria Jesus lavar seus pés?

    f)     Se somos todos iguais, independente do grau evolutivo, parece certo que os mais evoluídos são também os mais humildes;

    g)   Foi exatamente isso que Jesus mostrou naquele momento;

    h)   E mais que isso: ao repreender Pedro severamente por sua negação, Nosso Mestre mostra com firmeza que jamais devemos idolatrar alguém.

     

  3. A resposta de Jesus é muito clara: “Simão, não queiras ser melhor que teus irmãos de apostolado, em nenhuma circunstância da vida. Em verdade, assevero-te que, sem meu auxílio, não participarás com meu espírito das alegrias supremas da redenção”.
  4. a)   Eis uma forte atitude de orgulho, travestida de Humildade;

    b)   Pedro só queria se mostrar melhor que os outros, contrariando exatamente o que Jesus ensinara;

    c)    Quantos de nós aceitaríamos, como médiuns, receber mensagens do Espírito da Verdade? E de Jesus então?

    d)   “Como fazer isso, em minha inferioridade?”, diriam muitos;

    e)    Como se a capacidade de dar tais instruções devesse ser do médium, e não do Espírito comunicante;

    f)     Espíritos com essa envergadura evolutiva podem e conseguem se comunicar com quem bem entenderem, sem fulminar ninguém, pelo seu perfeito controle das coisas;

    g)   Nunca devido à nossa capacidade, mas à deles;

    h)   Com seu elevado grau de Humildade e Caridade, jamais se importarão com nossa inferioridade;

    i)     Dá para notar a vaidade ao avesso?

    j)     É preciso ter atenção para vermos quantas vezes imitamos Pedro, em todas as circunstâncias da vida.

     

  5. Jesus aproveita também o momento para ensinar que a melhor maneira que temos de mostrar que estamos seguindo seus passos é nos amarmos como ele nos amou.

a)   Ao responder para Pedro, que ele não estava preparado para enfrentar o sacrifício por que passaria, o apóstolo ficou chateado;

b)   Para que ele aprendesse definitivamente a necessidade da Humildade, Jesus o avisa que ele o negaria por três vezes antes que o galo cantasse;

c)    Humberto nos narra assim o que aconteceu, após tudo ter se passado:

d)   “Preso de indizível remorso, o apóstolo retirou-se envergonhado de si mesmo. Dando alguns passos, alcançou os muros exteriores, onde se deteve a chorar amargamente. Ele, que fora sempre homem ríspido e resoluto, que condenara invariavelmente os transviados da verdade e do bem, que nunca conseguira perdoar as mulheres mais infelizes, ali se encontrava, abatido como uma criança, em face de sua própria falta. Começava a entender a razão de certas experiências dolorosas de seus irmãos em humanidade. Em seu Espírito como que desabrochava uma fonte de novas considerações pelos infortunados da vida. Desejava, ansiosamente, ajoelhar-se ante o Messias e suplicar-lhe perdão para a sua queda dolorosa.”

e)    Eis um excepcional resumo do efeito da dor, em nosso processo de cura moral;

f)     Muitas vezes, ao nos recusarmos a aprender pelo amor, precisamos que a dor, como reflexo de nossos atos, nos mostre como as coisas são de fato;

g)   Mas a dor nos ensina também a como entender os defeitos alheios;

h)   Mesmo na situação de dificuldade, Jesus vem em Espírito aliviar Pedro, e lhe diz:

i)     “Pedro, o homem do mundo é mais frágil do que perverso“;

j)     Guardemos essa milenar lição, para todos os momentos de nossas vidas;

k)   Pois cada vez que nos recusarmos a entender nossos defeitos, por falta de humildade, estamos como Pedro, negando Jesus.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: