Home » Espiritualismo, Estudos, Kardec corrige

Como a cultura francesa e a época influenciaram Kardec

Enviado por on 09/06/2015 – 10:17
CC/Guy Moll

Continuamos a publicação do livro “Kardec (em Espírito) corrige O Livro dos Espíritos“. No capítulo 4, buscamos entender como a cultura da França em meados do século 19 moldou o pensamento do codificador e também dos médiuns que o auxiliaram, influenciando a forma como traduziram o pensamento dos Espíritos nas comunicações que receberam.

CAPÍTULO 4
(leia os capítulos anteriores)

20. Mas se Allan Kardec foi escolhido por Jesus e pelo Espírito da Verdade, como ele pode ter cometido erros?
a) Kardec era um homem de grande cultura;
b) Isso o levou a se impregnar do espírito elitista de sua época, principalmente na França;
c) A avaliação que ele fazia dos bairros pobres mostra bem isso;
d) Ele também sofreu a influência do Catolicismo e do Protestantismo, que reforçaram tal comportamento;
e) Fica claro que nem sua genial inteligência, nem sua elevada condição moral puderam fazer com que ele superasse totalmente a força da cultura de sua época.

21. Mas dessa forma você está menosprezando Kardec…
a) De forma alguma! Apenas queremos mostrar que, apesar de sua grande capacidade, Kardec não era perfeito e podia errar, assim como os médiuns que o assistiram;
b) A Codificação contém sim erros, e vamos aqui analisá-los de forma aberta e compreensiva;
c) Deixar de lado os erros da Codificação seria mitificar Kardec de forma absurda (atente para mitificar, diferente de mistificar);
d) Estaríamos criando o dogma da infalibilidade de Kardec;
e) E transformando a Codificação na Bíblia Espírita, como dissemos;
f) Com a diferença de que não seria a infalível palavra de Deus, mas a infalível palavra de Kardec. Estaríamos criando o Panteão Espírita. Onde estaria Kardec neste Panteão?
g) Com isso, a Doutrina Espírita não seria mais dinâmica e nem evolutiva;
h) Como ficaria então a Fé Racional, se são exatamente o dinamismo e a evolução que dão embasamento a ela e nos impedem de cair nos erros das outras doutrinas e religiões?
i) Só reconhecendo e corrigindo tais erros a Doutrina Espírita eliminará de vez a influência da Mitologia em nosso comportamento social e religioso;
j) Só assim abriremos caminho para que a verdade do Deus Amor de Jesus e do Espírito da Verdade nos ensine de vez a vivenciar o Reino de Deus em nossos corações.

22. OK, vejamos então seus argumentos. Como era o mundo na época de Allan Kardec?
a) Allan Kardec nasceu em 1804 e sofreu influências da cultura europeia, sobretudo francesa, na primeira metade do século 19;
b) Nesta época, a sociedade francesa respirava os efeitos da Revolução Francesa e do Iluminismo;
c) Esta corrente filosófica acreditava que o homem deve ter a capacidade de raciocinar por si próprio e não aceitar como verdade aquilo que é senso comum.

23. Isso tem tudo a ver com o espírito científico e investigativo de Kardec, certo?
Exatamente.

24. Mas foi só o Iluminismo que influenciou Kardec?
a) Enquanto Kardec crescia e fazia seus estudos com Pestalozzi, outra corrente filosófica emergia na França: o Positivismo de Auguste Comte;
b) O Positivismo acreditava no progresso como uma lei da história da humanidade: hoje o mundo é melhor que ontem, e amanhã será ainda melhor;
c) Comte também acreditava que a ciência era uma forma de buscar as leis que regem os fenômenos, para abandonar a mentalidade que acredita em “milagres” ou “forças sobrenaturais” e criar uma nova sociedade;
d) Uma análise criteriosa da obra de Kardec revela o quanto o codificador do Espiritismo foi influenciado por essas ideias que pairavam no ar em sua época;
e) Mas revela também que algumas outras mentalidades, como o eurocentrismo, acabaram por influenciar a Codificação.

Leia também

25. “Eurocentrismo”? O que é isso?
a) O eurocentrismo é uma ideologia que nasceu entre os habitantes da Europa no século 16, com as grandes navegações;
b) Naquela época, os europeus chegaram a outros continentes, especialmente a América;
c) Quando encontraram com as civilizações que aqui viviam, os europeus notaram uma grande diferença de costumes. Perceberam também que tinham tecnologias mais avançadas;
d) Isso fez com que os europeus começassem a achar que eram superiores às demais civilizações;
e) Este sentimento só aumentou com a Revolução Industrial, e depois com a exploração da África e do sudeste Asiático, na época de Kardec.

26. E como o eurocentrismo influenciou a Codificação Espírita?
a) Ora, simples: Kardec nasceu na Europa. Mais especificamente na França, que em sua época era berço da filosofia e da cultura em geral;
b) Por mais que o codificador do Espiritismo já tivesse avançado em conquistas intelectuais e morais, ele ainda não era (e ainda não é) um Espírito perfeito;
c) Enquanto não atingimos a perfeição, ainda podemos errar. Só na perfeição é que estamos isentos de enganos;
d) Kardec, como a maior parte dos franceses de sua época, também achava que tinha uma cultura superior;
e) Isso fica claro em diversos trechos da Codificação. Na pergunta 191 de “O Livro dos Espíritos”, por exemplo, Kardec se refere aos povos primários como “selvagens”: isso causaria arrepios a qualquer antropólogo do século 20, principalmente depois das atrocidades que as ditas “civilizações avançadas” da Europa cometeram nas duas grandes guerras mundiais (1914-1918 e 1938-1945);
f) Neste trecho de “O Livro dos Médiuns” (item 133) isso fica evidente:

“Quem estiver bem compenetrado, segundo a escala espírita, da variedade infinita que apresentam os Espíritos, sob o duplo aspecto da inteligência e da moralidade, facilmente se convencerá de que há de haver diferença entre as suas comunicações; que estas hão de refletir a elevação ou a baixeza de suas ideias, o saber e a ignorância deles, seus vícios e suas virtudes; que, numa palavra, elas não se hão de assemelhar mais do que as dos homens, desde os selvagens até o mais ilustrado europeu.”

g) Em diversos trechos da Codificação, Kardec também fala em “raças”, conceito que a genética também já derrubou.

Leia também

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: