Home » Espiritualismo, Estudos, Kardec corrige

Por que a Caridade é a maior virtude para o Deus Amor e para Jesus?

Enviado por on 14/03/2016 – 14:00 2 Comentários
Sandeep Pawar/CC

Julgar, condenar, castigar, humilhar ou exigir são atos ruins. Sendo dotado da suprema Caridade, Deus não pode praticá-los —então ele só pode nos fazer o bem. Logo, Deus é o supremo Consolador, pois sempre nos mostrará a melhor solução para nossos problemas.

CAPÍTULO 19
(leia os capítulos anteriores)

194. Por que o Deus Amor é também Consolador?


a) Consolar, dentro do conceito de Caridade, significa dizer que há sempre uma solução do bem para nossos problemas;
b) E que se nós soubermos buscar essa solução ela sempre virá;
c) Esse caminho é a prática da Caridade pelo uso da Boa Vontade.

195. E o que ser consolador tem a ver com Deus?
a) Tudo. Sempre que praticamos a Caridade, estamos fazendo o bem;
b) Mas se fazemos isso e Deus não, então seríamos melhores que Deus;
c) Isso é impossível, pois Deus, em nosso atual estágio evolutivo, sempre será melhor que nós em tudo;
d) Então Deus tem que ser dotado da suprema Caridade.

196. O que a Caridade tem a ver com o Deus Consolador?
a) Como Deus é Consolador, ele sempre nos tratará com suprema Caridade;
b) Deus só poderá nos fazer o bem, e o supremo bem;
c) Deus nunca nos julgará, condenará, castigará, humilhará ou irá nos obrigar a pagar pelos nossos erros, etc.

197. Quer dizer que Deus não me castiga, nem me obriga a pagar pelos meus erros?
a) Veja: se Jesus ensinou que Deus é supremo em todos os seus atributos;
b) Deus é então, em grau supremo, tudo aquilo em que somos bons em grau pequeno;
c) Se Jesus ensinou também que, através da Caridade, só faríamos o bem para o próximo;
d) E se Jesus jamais pediria para sermos melhores que Deus;
e) Então o que Jesus estava ensinando ao nos dizer que fôssemos caridosos é que Deus é dotado da suprema Caridade;
f) Julgar, condenar, castigar, humilhar ou exigir são atos ruins;
g) Sendo dotado da suprema Caridade, Deus não pode praticar atos ruins;
h) Então ele só pode nos fazer o bem;
i) Logo, Deus é o supremo Consolador, pois só pode nos fazer o bem e de forma suprema.

198. Então quando Jesus nos ensinou o amor ao próximo e aos inimigos pela prática da Caridade, de forma indireta Jesus estava nos mostrando como Deus realmente é?
a) Exatamente! O supremo Amor e Consolador;
b) Se não fosse assim, Jesus estaria querendo que fôssemos melhores que Deus.

199. Nossa! Isso muda a forma como enxergamos Deus!
Sim. Desaparece o Deus vingador e aparece o Deus Verdadeiro. O Deus Consolador. O Deus Amor. O Ser Supremo.

200. O Espiritismo está ajudando a mudar esse conceito de Deus?
Em parte sim.

201. Mas quando lemos as obras de Allan Kardec, os Espíritos dizem que Deus julga, castiga, humilha etc. Não é ainda o Deus vingador?
Sim.

Leia também

202. Então a Doutrina Espírita não mudou nada!
a) Mudou sim. Mas toda mudança tem que ser gradual;
b) O Espiritismo acabou com os demônios e o inferno;
c) Acabou com as penas eternas, ensinando a Evolução Espiritual;
d) Ensinou que a “fé só é verdadeira quando pode encarar a razão face a face, em todas as épocas da humanidade”, ou seja, a Fé Racional;
e) Restabeleceu o maior ensino de Jesus, o “fora da Caridade não há solução”;
f) Você acha pouco?

203. Mas ainda continua o Deus vingador.
a) Jesus nos prometeu que pediria ao Pai para nos enviar outro Consolador, que restabeleceria seus ensinos;
b) Este Consolador é o Espírito da Verdade e sua falange;
c) Lembremos as seis fases colocadas por Kardec, que propõe os Atributos de Deus como base para correções e atualizações da Revelação.

204. E por que a Doutrina Espírita não chegou toda pronta para nós?
a) Assim como Jesus, o Espírito da Verdade é também um Espírito perfeito;
b) Ele sabe que Deus, além de cuidar de nós individualmente, cuida também das coletividades;
c) O Espírito da Verdade sabe também que Deus, mesmo respeitando nosso livre-arbítrio, sempre tira o máximo de benefício com o mínimo de custo;
d) Uma luz muito forte pode cegar em vez de ajudar a enxergar;
e) Sempre evoluiremos, portanto, com um mínimo de dor;
f) E isso só é possível quando cada coisa vem a seu tempo.

205. Isso quer dizer que tudo que passamos e iremos passar é o mínimo de dor?
Com certeza! É o mínimo em consequência do mau uso de nosso livre-arbítrio, seja individual, seja coletivo.

206. Mas isso não é Consolador.
a) É sim, pois quando o Espiritismo eliminou o inferno e os demônios, ainda era preciso deixar algum freio, devido ao tipo de Espíritos que precisariam encarnar durante o século 20 e no início do 21;
b) Os fatos nos mostram que tais falanges de Espíritos eram muito desequilibradas e materializadas;
c) Então foi necessário manter o umbral e as trevas como uma espécie de inferno passageiro;
d) E ainda os obsessores como demônios;
e) Além, é claro, do conceito do Deus Mítico;
f) Isso porque, quando desencarnam, os que praticaram, por vício, o “mal”, irão expurgá-lo nestas regiões, tendo ainda vários obsessores a perturbá-los;
g) Como Espírito, a sensibilidade é muito maior do que como encarnado;
h) O expurgo então tem um efeito muito forte, fazendo com a maioria dos Espíritos que praticaram o “mal” por vício busquem grandes mudanças em seus comportamentos;
i) Assim, a maioria deles irá deixar de fazer o mal, e buscará fazer o bem;
j) Isso tudo impediu que bilhões de pessoas fossem exiladas da Terra para um planeta em estado primário;
k) Além de ensinar a um grande número de Espíritos que estavam em provação na Terra o que não deveriam fazer;
l) Espíritos esses que voltarão a seus planetas de origem mais evoluídos e preparados;
m) Como você vê, o benefício foi muito maior que o custo, como disse o Espírito da Verdade.

207. E o Deus Amor?
a) Ainda neste século, não mais precisaremos do freio do Deus mítico para acelerar a mudança de comportamento das pessoas;
b) Isso porque não teremos mais na Terra o umbral e as trevas;
c) Todos os Espíritos que ainda precisarem de tais freios serão exilados para um planeta em estado final de primarismo, onde encontrarão ambientes próprios para acelerar a própria evolução;
d) Aqui só ficarão os que estiverem realmente dispostos a aprender a praticar o amor ao próximo, pela prática da Caridade;
e) Por isso já é possível enxergar Deus em sua verdadeira realidade: o Deus Amor.

Leia também

2 Comentários »

  • Carlos Batista disse:

    Bom dia!
    Estou a procura de um centro espírita que possa me orientar para conseguir conversar com meu mentor e outros espíritos que estão perto de mim e não apenas ouvir palestras. Estou bastante perdido e não sei por qual caminho ir. Será que você conhece algum lugar em São Paulo? Agradeço a ajuda.

    • Prezado Carlos,

      O lugar onde você pode encontrar vários endereços de centros é na Federação Espírita de S.Paulo (FEESP), na Rua Maria Paula, próximo à Brigadeiro Luiz Antonio.

      Explique a quem te atender o que você quer, que talvez eles possam resolver seu problema. Diga que você quer um lugar onde possa trabalhar mediunicamente. Talvez eles encontrem algum centro próximo de sua casa.

      Outro órgão que reúne diversos centros espíritas de trabalho sério é a Aliança Espírita. No site você tem um mapa com alguns dos centros filiados à instituição (http://alianca.org.br/encontre-uma-casa-espirita/).

      Esperamos ter ajudado de alguma forma.

      Um grande abraço e continue conosco.

      Equipe do Blog

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: