Home » Destaques, Espiritualismo, Estudos, Kardec corrige, Manchete

Resgate ou Oportunidade de Transformação?

Enviado por on 23/08/2017 – 19:17
hands-2363767_640

Neste capítulo de “Kardec (em espírito) corrige o Livro dos Espíritos”, vamos entender o porque do termo resgate não se referir a algum tipo de castigo, mas sim ao processo de correção dos erros que cometemos ao longo de nossa evolução espiritual, utilizando a Caridade como ferramenta para efetivar a correção desses erros.

 

CAPÍTULO 34
(leia os capítulos anteriores)

 

423. O que é resgatar?

– É tirar alguém de uma situação de risco.

424. Então resgatar algo do meu passado espiritual não tem nada a ver com castigo?

a) Absolutamente nada;

b) Resgatar, do ponto de vista espiritual, é desfazer um automatismo mental no erro.

425. E como faço para resgatar meus erros?

– Primeiro é preciso entender que ninguém pode fazer por nós o nosso trabalho evolutivo.

426. Nem Deus?

a) Nem Deus;

b) Podemos ser ajudados, mas nosso esforço é pessoal e intransferível;

c) Assim só nós mesmos podemos nos resgatar dos perigos que os males que praticamos nos causam.

427. Então como eu faço?

a) Já vimos que quando cometemos um erro e insistimos nele, adquirimos conhecimentos que nunca se perderão;

b) Também, como vimos, só será possível curar esse “mal” usando nossa força de vontade para fazer o bem;

c) Com isso aprendemos o que não fazer;

d) É só fazer o contrário para fazer o que se deve fazer;

e) Isso é o autorresgate;

f) E é por isso também que não basta não fazer o mal. É preciso fazer o bem.

428. Mas como as pessoas irão saber disso?

a) Os ateus não têm como saber disso, pois não creem nem em Deus e nem na vida espiritual;

b) Os que acreditam no céu e no inferno, também não;

c) Os que desconhecem os mecanismos da reencarnação e da Lei de Causa e Efeito, também não.

429. E daí? Como fica?

a) É por tudo isso que é errado dizer que para ser socorrido, tem que se arrepender;

b) Se eu não estou entendendo nada do que está acontecendo comigo, como me arrepender?

430. O que é preciso então?

a) O cansaço. Ficar cansado de sofrer;

b) Com isso passamos a querer saber o que está acontecendo;

c) Então começa o nosso processo do novo aprendizado para o bem, mesmo sem saber como;

d) Se esse cansaço for sincero, seremos imediatamente socorridos e esclarecidos;

e) Novamente o limite de nosso orgulho, que estabelece nossa tolerância ao sofrimento.

431. Você está dizendo que na realidade o necessário para o nosso socorro é a vontade sincera de saber o que acontece?

a) Como poderemos saber, se não tivermos a vontade de saber?

b) Deus não seria justo se exigisse que fizéssemos uma coisa que não temos ideia do que seja;

c) Portanto a verdadeira finalidade da dor e do sofrimento é nos cansar, para querermos saber o porquê das coisas;

d) É por isso que com o socorro vem o esclarecimento;

e) A explicação do que está acontecendo e o que e como fazer para corrigir tudo isso;

f) Por isso também que é mais fácil fazer e entender no plano espiritual;

g) É lá que está a nossa plena e verdadeira realidade.

432. É esse o motivo da intuição quando encarnamos?

a) Sim. Ela sempre nos avisa que estamos caindo de novo em erro;

b) É nosso inconsciente nos lembrando do que nos aconteceu pelo medo e até mesmo por fobias;

c) Por isso não devemos confundir o medo como uma coisa ruim. Só o exagero que é ruim;

d) Todos temos medo e coragem ao mesmo tempo;

e) Portanto coragem não é falta de medo, mas a vontade de enfrentá-lo;

f) São as duas faces de uma mesma moeda.

Obs.: Lembremos aqui, as regressões de memória a encarnações passadas. Elas só terão efeitos reais, se esclarecidas as causas e a necessidade de não repeti-las. Isso porque estaremos mexendo na intuição da pessoa, que serve de freio. Eliminar tal freio sem o devido esclarecimento poderá levar a pessoa a repetir os mesmos erros. Só terapeutas preparados para isso poderão ser realmente eficientes.

433. E porque sofremos também quando encarnados?

a) Porque ao invés de enfrentarmos as dificuldades com coragem, nos revoltamos contra elas;

b) E principalmente porque não praticamos a Caridade, que é o caminho perfeito para trocarmos o “mal” pelo bem, ou o sofrimento pela felicidade.

 

Leia também

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: