Home » Artigos, Destaques, Espiritismo, Manchete

Quem é esse médium?

Enviado por on 13/09/2017 – 12:00
Allan_Kardec_L'Illustration_10_avril_1869

Neste artigo, o autor do livro Kardec (em Espírito) corrige o Livro dos Espíritos, Rosino Caporice, responde a um outro artigo postado por José Sola Gomes, colocando dentre algumas dúvidas, a razão para Kardec corrigir alguns erros na codificação e Quem é o médium deste livro. Portanto aproveitem os esclarecimentos para que tirem também suas possíveis dúvidas sobre o tema.

 

 1 – Kardec corrigindo os possíveis erros da codificação? (título do artigo)

A todos os que estão, neste momento, lendo estas explicações meus sinceros cumprimentos.

Eu sou o autor (Rosino Caporice) do livro aqui referido, e pretendo responder às colocações feitas pelo sr. José Sola Gomes.

Não estranhem o tempo de um ano de atraso, pois só há poucos dias fiquei sabendo do fato por um amigo que acessou o Fórum Espírita.

Os trechos numerados e em negrito correspondem ao artigo do sr. José Sola Gomes.

 

2 – Somos informados por alguns confrades de que Allan Kardec apresentou equívocos em suas obras e está presentemente fazendo as devidas correções.

Aqui já há um erro: Não foi Kardec quem apresentou os erros, mas nós. Daí perguntas e respostas, como formato do livro.

E apresentamos a Kardec tais questionamentos, em função da genial colocação que ele faz em seu livro A Gênese, a respeito da necessidade de correção de erros que se apresentassem, considerando para isso os atributos de Deus.

Tudo isso está muito bem explicado no livro, que está sendo colocado em nosso blog: Blog dos Espíritos, para ser acessado gratuitamente.

Estamos fazendo isso gratuitamente, pois não temos ideias de lucros, mas de esclarecimento, dando a todos a ocasião de avaliar o conteúdo do livro.

Só por isso não precisaríamos dizer mais nada, pois no texto Kardec não só admite que pode errar, como nos dá um perfeito método de correção: os atributos de Deus.

Se nós adquiríssemos o hábito de fazer isso, dificilmente erraríamos.

 

3 – E eu entendo que existem, sim, no que concerne à letra, isto dito nas traduções, algumas colocações que não correspondem à lógica apresentada no conceito geral do Espiritismo. Mas eu pergunto: se o contexto da codificação é completo, encerra uma lógica inconfundível, é lógico e racional estarmos corrigindo a obra, modificando-lhe o conceito, pois a filosofia espírita é racional; nesta nossa atitude não estamos manifestando um egocentrismo equivocado e tolo?

-Sr. Sola, tais erros nada têm a ver com erros de tradução, mas são erros de colocação de pensamento, que ferem os atributos de Deus.

a) O Livro dos Espíritos, além de bem traduzido, foi devidamente corrigido por nada mais do que nosso grande J. Herculano Pires. (Edição LAKE).

b) A edição da FEB foi traduzida por nada menos que Guillon Ribeiro, que era tão bom de francês, que poderia dar aula para franceses.

c) Eles inclusive tinham profundo conhecimento das expressões idiomáticas da época de Kardec, fato que dificultaria traduções atuais.

d) Mas, se ficar qualquer dúvida, basta acessar a Biblioteca de França, onde toda obra de Kardec está arquivada em seu original, que foi o que minha filha fez por mim.

e) Isso aconteceu, porque em uma mensagem que Kardec me passou, ele assinou seu nome, os dois primeiros, trocados, ao contrário do que está em nossos livros.

f) Quando verificamos na Biblioteca de França, o nome de Kardec estava como ele havia assinado.

g) Vamos, ainda, lembrar que o nome civil de Kardec, era bem conhecido, pois ele foi nada menos, antes de ser Kardec, uma espécie de Ministro da Educação, que ajudou muito na formulação do método de ensino da França.

h) O contexto da Codificação não está completo, não senhor, pois aí também Kardec, na Revista Espírita, deixa claro, que A Revelação Espírita se completaria em CINCO fases, cuja quarta fase, não fica nem uma dúvida, ele completou reencarnado como Chico Xavier.

i) E isso nós podemos garantir pela conversa que Kardec teve com o Espírito da Verdade, que está em Obras Póstumas. Disse o Espírito da Verdade:

j) “É preciso seguir as leis naturais. Você desencarnará, mas voltará muito em breve, para terminar o seu trabalho, em condições bem melhores”.

k) De 1869 a 1910, 31 anos, que realmente é um tempo curto entre uma reencarnação e outra.

l) Eu desafio alguém provar que houve, não só no Brasil, mas em todo mundo, outro ser humano, além de Chico Xavier ter sido a reencarnação de Kardec.

m) Eu vejo pessoas dizendo da personalidade de nosso Chico, colocando-o até como afeminado, que não condiz em nada com a personalidade de Kardec.

n) O que você pensaria de um machista que bate na esposa, que por necessidades de correções de comportamento tivesse que reencarnar como mulher em um país onde a mulher é subjugada por lei?

o) Não teria ela que mudar completamente de personalidade, para deixar de ser agressiva pelo uso de seu psiquismo feminino, além é claro de ser mulher?

p) Você fala de lógica e racionalidade. Pois bem, o que é que o Chico teria conseguido fazer de seu maravilhoso trabalho se a metade das pessoas soubessem que ele fora Kardec? Após o desencarne do Chico quem fez o que ele fez em termos de Revelação Espírita, não só como doutrina, mas também em consolação? Ninguém!

q) É lógico, racional e correto corrigir sim erros na Codificação.

r) Ilógico, irracional e errado é não corrigir, ofendendo Kardec ao não ter a coragem de atender seu pedido, que faz em muitas outras vezes, pois ele sabia sim, que era imperfeito e poderia errar, como errou.

s) Errado, é fazer dele um mito, só faltando fazer uma imagem e colocá-lo em um altar.

t) Sinto muito, mas faz décadas que me afastei do comportamento igrejista.

u) Tanto quanto eu, nosso Kardec sabe que está mais do que na hora de assumirmos nossas responsabilidades pela nossa evolução, e deixar de ir ao “altar” pedir aos nossos ídolos e “santos” que façam por nós o que temos que fazer.

v) CORRIGIR ERROS, JAMAIS SERÁ MODIFICAR CONCEITOS. BEM AO CONTRÁRIO, SERÁ APERFEIÇOÁ-LOS.

w) Seguindo os livros da Codificação de maneira racional, eu aprendi a ter coragem de estar com a verdade.

x) Em muitas outras coisas Kardec errou, e como está no livro, por duas razões básicas:

1º) A cultura tanto geral, quanto científica, está tendo  muitas modificações e erros corrigidos. Como bom cientista que era, Kardec acompanhou os erros de sua época.

2º) Antes de Kardec, ninguém tinha a mínima noção do que era mediunidade. Ele teve que começar do zero não só sobre os conhecimentos doutrinários, como a metodologia a ser usada, para nos trazer a Ciência Espírita (tão esquecida pelo igrejismo que toma conta do meio espírita), para que pudéssemos dar os primeiros e preciosos passos rumo ao conhecimento de nossa EVOLUÇÃO ESPIRITUAL.

y) Dá para imaginar o tipo de médiuns que tinha à sua disposição. Mas, era o que ele tinha no momento.

z) É por tudo isso que posso dizer, sr. Sola, que prefiro ser TOLO o suficiente para encarar os fatos como são: e como afirmou Kardec onde for preciso CORRIGIR, CORRIJA-SE!

 

4 – E não podemos nos esquecer ainda de que toda essa grandiosidade, toda essa lógica e racionalidade, toda essa beleza que a mesma nos apresenta está contida em síntese nas obras básicas.

a) Se isso fosse verdade, que a Revelação Espírita já estivesse completa na Codificação Espírita, por que Kardec teria que voltar para completar o que começou, como disse o Espírito da Verdade?

b) Muita coisa faltou na Codificação, que Kardec completou com a ajuda dos Espíritos, como Chico Xavier.

 

5 – Tenho dito em outras oportunidades e volto a reprisá-lo: o Espiritismo é um edifício infinito; nele são tratadas todas as questões que se manifestam na vida do universo.

a) Caro sr. Sola, aqui o exagero chega às raias do absurdo:

b) O senhor tem noção do que significa infinito? Apesar de ser Físico e ter dado aulas de Matemática, acompanho com muita curiosidade, os maiores gênios da Ciência de hoje, mostrarem o que é realmente o infinito, ou se mesmo ele existe!

c) Se nós somarmos todos os conhecimentos que o homem conquistou, eles ainda estão a uma distância infinita de serem infinitos.

d) E isso não é um paradoxo.

e) Uma coisa que descobri quando deixei de ser igrejista, foi que perdi o medo de Deus, pois notei que ele sim tem todos seus poderes infinitos.

f) Sua caridade é infinita, seu amor é infinito, sua humildade é infinita, seu conhecimento transcende o próprio infinito (em Deus isso é possível).

g) Mas o que nós temos aprendido com Kardec e outros amigos é que o que Jesus disse quando aqui esteve, “NÓS SOMOS DEUSES”. E somos mesmo, pois nosso Mestre não poderia nos dizer coisa tão importante sem que seja verdade.

h) E ficarmos nos humilhando, praticando a falsa humildade, nos achando uns coitadinhos, apenas vamos adiar a conquista do mais incrível tesouro que nosso Pai nos preparou: “SERMOS DEUSES, COMO ELE”!!!

i) Aí então eu tenho certeza, com o aval de Jesus, que nós não só conheceremos, como saberemos trabalhar com o infinito, como faz nosso Pai.

j) Fica claro que estamos longe de termos condições de conhecer tudo o que ocorre com a manifestação da vida no Universo.

k) Falta-nos muito conhecimento e sabedoria para isso.

l) Eu digo que seu exagero nesse caso raiou o infinito, pois como poderia Deus nos mandar um tipo de conhecimento que não temos a mínima condição de entender e aprender?

 

6 – Entretanto, na míope visão em que nos demoramos, não temos sequer conseguido extrapolar algumas questões apresentadas em O Livro dos Espíritos de forma correta, pois várias delas são extrapoladas de forma equivocada.

a) Não tem como extrapolar, exatamente, porque estão erradas.

b) Gostaria muito que o sr. nos indicasse como fazer a mágica de manter um erro transformando-o em acerto.

 

7 – Emmanuel esteve nos definindo de forma maravilhosa o que é o Espiritismo quando nos informou de que o Espiritismo é a religião universal do amor e da sabedoria que palpita inevitável no coração de cada criatura; é o encontro marcado com as lições do Cristo de Deus.

a) Eu não teria nenhum receio em dizer que a Revelação Espírita é o reencontro moderno com as lições do Cristo.

b) Isso foi prioridade no trabalho de Kardec. Vamos colocá-las aqui, alertando que no livro estão devidamente explicadas. (Ver no blog de graça):

c) Fé Racional, Fora da Caridade Não Há Salvação, que para sair do contexto puramente religioso, trocamos Salvação por Solução; Imortalidade do Espírito; Evolução Espiritual; Lei da Reencarnação.

d) Tudo isso não foi invenção de Kardec, mas explicações de Jesus, que foram deturpadas pela Igreja Católica.

e) Mas o codificador teve a genialidade de restabelecê-las, trazendo de volta toda a pureza dos ensinos de Jesus;

f) Cumprindo o que disse nosso Mestre que tudo seria restabelecido pelo Espírito da Verdade, que começou a fazê-lo do plano Espiritual, através de Kardec.

g) Se Kardec só tivesse feito isso, já teria feito o mais importante.

h) Mas Jesus disse que o Espírito da Verdade não só restabeleceria tudo o que o Mestre ensinou, mas acrescentaria coisas novas, que já estaríamos em condições de entender.

i) Kardec nos esclarece também, que esse algo a mais será feito pelo Espírito da Verdade reencarnado aqui no Brasil.

j) Aí, então, estará completa a Revelação Espírita, e iniciada a mais importante de todas as revelações: A REVELAÇÃO DO DEUS AMOR.

k) Longe de mim ter a presunção de ensinar Emmanuel. Porém na época em que ele escrevia, o fazia de maneira bastante clássica, com termos que já não existem mais. Nem mesmo nos dicionários.

l) Atualmente é preciso simplificar ao máximo, se quisermos ser compreendidos.

 

8 – E os amigos que estão vivendo essa tarefa inglória me dirão: mas é o próprio mestre de Lyon quem está tomando esta iniciativa. Será?

a) Veja sr. Sola: Eu teria mais cuidado em chamar essa tarefa de inglória. Deus não criou a Terra para servir somente ao senhor. Ela é de todos nós, que temos todo o direito de externar nossas ideias. Eu até entendo que ela seria inglória para o senhor. Para mim ela é uma tarefa de muito valor, pois nos dá a oportunidade de ombrearmos com Kardec, que se tornou um irmão muito querido para nós todos de nosso grupo de trabalho.

b) Mais uma vez sou obrigado a seguir Kardec em seus conselhos quanto à insistência na incompreensão: “Quando alguém quer insistir em sua opinião já formada, deixando de lado a qualidade do trabalho feito, para apenas procurar saber quem é esse médium, não perca tempo”. Mas quando se trata de insistir na verdade, por respeito aos leitores de nosso livro no nosso blog, passa a ser um grande ganho de tempo.

c) Quanto a ser ou não Kardec nosso companheiro de trabalho, é preciso avaliar todo o conteúdo do trabalho feito com ele. Seja qual for a conclusão, será sempre valiosa por ser honesta e ter um critério de avaliação.

d) Cinquenta anos de trabalho, sem interrupção, me deu muita experiência para saber o que pode ou não ser útil.

 

9 – Vamos analisar a possibilidade de ser Kardec o interessado, e mais, de ser ele o Espírito que, se incorporando, esteja fazendo esta correção.

a) Eu nunca faço tais trabalhos por incorporação, muito embora pudesse fazê-lo. Usamos a psicografia pelo método da transmentação. Facilita e agiliza o contato.

b) Obs: Transmentação é a sobreposição das mentes.

 

10 – O primeiro ponto a ser analisado é que, sendo Kardec quem está realizando essa revisão, o correto é que o faça em original, em francês, pois os equívocos apresentados estão na tradução – equívocos esses que não passam da palavra, como retro informado – e se o mesmo apresentar essa correção em português estará apenas corrigindo a tradução.

a) Fiz esse recorte nas colocações, pois fica difícil entender que alguém que diz tudo o que está dito aqui, desconheça tanto o que é mediunidade.

b) Se o Sr. Sola leu o Livro dos Médiuns, não entendeu nada do que leu.

c) Ele talvez não saiba o que é interpretação do pensamento.

d) Kardec explicou bem que o pensamento é a linguagem universal, pois a mente é capaz de interpretar a forma criada pelo pensamento.

e) E isso mesmo quando se está falando a mesma língua.

f) A comunicação mediúnica será sempre a interpretação da forma do pensamento, e não das palavras. E tudo acontece automaticamente.

g) Portanto Kardec transmitir em Francês, ou em Português, dará no mesmo.

h) E a nós parece que quem conhece melhor o assunto da Codificação, é o Codificador.

i) Antes que você conteste, o médium só conseguirá traduzir o pensamento em outra língua se tiver a mediunidade própria para isso, e conhecimento de tal língua em alguma anterior encarnação.

j) Por isso, também, o erro só pode ser corrigido, pois ele depende basicamente de duas formas de erros:

1º) A interpretação do médium, que sempre será feita pelo uso de seu animismo cultural,  que constitui todo seu conhecimento;

2º) Ou o conhecimento e intenção do espírito comunicante.

k) Sola, sugiro que o Sr. busque conhecer melhor os segredos dos fenômenos mediúnicos pois entenderia melhor as coisas.

 

11 – Se for corrigida apenas a tradução, o possível equívoco permanecerá e novos tradutores estarão reapresentando o mesmo equívoco, então, entendemos que Kardec não viveria esta visão míope, pois nosso amigo enxerga mais longe.

a) Quanto ao problema da tradução, já ficou devidamente explicado.

b) Com certeza Kardec enxergava e ainda enxerga longe, tanto é que nos deixou a maneira perfeita de reconhecermos erros e corrigí-los: OS ATRIBUTOS DE DEUS.

 

12 – E mais, com todo respeito ao médium que serve de instrumento para que o Espírito de Kardec se comunique, este oferece realmente condições vibracionais, condições sintônicas para que esta comunicação seja possível?

a) Mais uma vez o completo desconhecimento de como ocorre um fenômeno mediúnico.

b) Não irei dizer onde do Livro dos Médiuns, mas lá Kardec consulta os espíritos.

c) Exatamente sobre o efeito da condição moral do médium sobre a comunicação.

d) Ele pergunta se os espíritos superiores podem superar tal condição e dar a comunicação?

e) Antes o espírito Erasto explica que a condição mediúnica é um processo do organismo físico; depois diz que o espírito comunicante, tendo condição moral superior à do médium, pode, sem nenhum problema, superar tal condição e passar a comunicação.

f) Explica ainda, que mesmo que o médium desconheça o assunto, fica mais difícil comunicar, mas acessando o centro cerebral da fala ele consegue passar o assunto, palavra por palavra, ou até letra por letra.

g) Como eu não me considero nenhum santo, devo dar ao nosso amigo um certo trabalho.

h) Quanto ao conhecimento, porém, imodestamente, me considero um médium de razoável condição.

Nota: Amigos desencarnados me explicaram que o espírito tem um dial (daial), que é aquele aparelhinho que controla a vibração, para poder sintonizar com o médium. Da mesma forma que o rádio não deixa outras vibrações interferirem em sua onda, o espírito, que tem um mínimo de conhecimento, faz o mesmo, evitando qualquer interferência vibratória de nossa parte.

i) Depois me perguntou: como ficaria Deus que se mantém em contato direto com todos seus filhos, sem tal DIAL?

j) Disse-me também, porque Jesus insistiu tanto no perdão, pois ele, o dial, aumenta bem nossa capacidade de refletir más vibrações.

k) Se usarmos então um pouquinho de oração para devolver ao “inimigo”, será melhor ainda. “Perdoai e orai pelo inimigo”. (Jesus de Nazaré).

l) Como você pode ver, caro Sola, precisamos deixar de ser “papagaios” e estudarmos melhor o assunto que queremos questionar.

m) Minha menor ou maior condição moral jamais poderia atrapalhar nosso Kardec, que ao que me consta tem um razoável DIAL.

 

13 – Não podemos nos esquecer de que quando Kardec reencarnou para codificar o Espiritismo ele já era um Espírito superior, e após haver realizado sua missão com sublime êxito, evoluiu ainda infinitamente mais…

a) Aqui novamente o desconhecimento do que é o infinito, que já comentamos.

b) É absolutamente impossível em uma encarnação se adquirir um conhecimento infinito.

c) Veja que você diz “ainda infinitamente mais”, ou seja que Kardec já era perfeito antes de reencarnar.

d) Erro de idolatria, já que Kardec pelo seu histórico reencarnatório não poderia ser perfeito. Razoavelmente sábio sim, perfeito não.

e) Só para explicar, para evoluir um infinito mais, é preciso que você tenha, já, um infinito de evolução. Vê como complica?

f) KARDEC NÃO ERA PERFEITO QUANDO REENCARNOU E, MUITO MENOS, SE TORNOU PERFEITO AO DESENCARNAR, E OS ERROS QUE ELE ADMITIU COMO CERTOS (PELOS ATRIBUTOS DE DEUS) PROVAM SUA IMPERFEIÇÃO.

g) ESTA VERDADE É UMA VERDADE REAL, E POR MAIS QUE SE QUEIRA MUDÁ-LA, O ERRO É DE QUEM TENTA TROCAR, POR OPINIÃO PESSOAL, E NUNCA DA VERDADE.

 

14 – Isto nos é evidente, pois no pouco que temos realizado a favor da doutrina, nos apercebemos haver acontecido um crescimento espiritual avantajado. Então perguntamos: esse médium oferece sintonia para que o Espírito iluminado de Kardec se comunique?

a) Infelizmente, no meu caso ainda não consigo medir tal condição, pois acho mais importante continuar trabalhando, pesquisando, em busca de poder ajudar minimamente, mas ajudar.

b) E isso não me permite tempo de ficar avaliando o trabalho de ninguém, apenas para achar se tal pessoa é digna ou não, mas sempre para procurar aprender um pouco mais.

c) Se me permitirem, gostaria de deixar uma explicação sobre os Espíritas:

d) O igrejismo invadiu de tal maneira a cabeça dos Espíritas, que praticamente anularam aquilo que Kardec fez de mais importante na Codificação, como colocamos acima: reviver a base pura do Evangelho, pelas intocáveis verdades Espíritas. Da mesma maneira que a Igreja Católica desfigurou os ensinos evangélicos, que, com a ajuda do Espírito da Verdade, Kardec restabeleceu, os Espíritas estão desfigurando Kardec, e em consequência Jesus, criando ídolos como os espíritos “Superiores” e, passando a exigir condições de perfeição para os trabalhadores, para “sintonizar” com eles.

e) Eu Pergunto: o que seria do CRIMINOSO SAULO DE TARSO, o primeiro a começar a matar Cristãos, se Jesus fosse exigir dele altas condições morais e vibratórias, para vir a ser o maior de seus apóstolos, já então Paulo de Tarso?

f) O que seria de PEDRO, que não aceitava que nosso Mestre conversasse com prostitutas, em busca de suas transformações?

g) Aliás, QUAL DOS APÓSTOLOS DE JESUS TINHA QUANDO O MESTRE OS CONVIDOU, TAIS CONDIÇÕES MORAIS E VIBRATÓRIAS?

h) Sabendo disso é que ao invés de me preocupar com minhas condições, sendo convidado por Kardec a trabalhar com ele, não titubiei nadinha. Parti para o trabalho e ainda não me arrependi.

i) Eu acho que isso responde bem “QUEM É ESSE MÉDIUM”.

j) Sou alguém que por ter consciência de suas condições, jamais perco chances de melhorar.

 

15 – Não vai aqui um julgamento, mas desejaríamos conhecer melhor esse médium.

-Resposta dada acima.

 

16 – No meu entender, se houvesse a necessidade de corrigir as obras básicas, Kardec o teria feito através do Chico, pois este médium tinha os requisitos necessários que correspondiam às vibrações sintônicas requeridas por Kardec.

a) Eu nunca pensei isso, pois sempre tive a certeza que o Chico era a reencarnação de Kardec.

b) Quanto às vibrações sintônicas, viva o DIAL de Kardec.

 

17 – Francisco Cândido Xavier era disciplinado, humilde. Foi um homem Amor, pois seu ser exalava o amor, se sacrificou mesmo a favor do Espiritismo, lógico que não era um Deus, é um Espírito que reencarnou como tarefeiro e acabou se transformando em um missionário, pois ele foi um médium ímpar.

-Erro seu meu caro! O Chico (também Kardec) já se transformou em Missionário, quando foi o Padre Anchieta, que juntamente com o Padre Manoel da Nóbrega, entre outros Jesuítas vieram ao Brasil, iniciar a Cristianização de nosso país.

 

18 – Este médium tinha as faculdades mediúnicas plenamente afloradas; era médium de incorporação, de vidência, de desdobramento, de psicografia, e de efeitos físicos, e ele comprovou possuir a faculdade de efeitos físicos, pois, quando quiseram iniciá-lo nesse trabalho, Emmanuel se materializou e disse: eu não quero que Chico seja médium de efeitos físicos. Foi a única vez que Emmanuel se pronunciou na primeira pessoa do singular, pois sempre o fazia na primeira pessoa do plural, nós.

a) Concordo, um médium que poderíamos dizer o Pelé da mediunidade, era especial. Porém, se formos pensar assim, seria quase impossível a existências de outros médiuns. Chico foi único.

b) Percebe o que o igrejismo faz conosco? Engessa a Revelação Espírita, impedindo até sua continuidade.

c) Quanto a um pouco de vaidade no “eu”, sempre achei, ao contrário do que ensinam as Igrejas, que ajuda muito em nossa auto-estima.

d) Assim temos auto-amor, e adquirimos melhores condições de amar o próximo.

 

19 – Não foi apenas um bom médium pelas faculdades afloradas que possuía, mas pelas virtudes adquiridas, pelo amor com que se dedicou à doutrina espírita; e, com todo respeito, eu pergunto: o médium que permite a comunicação de Kardec tem esses requisitos?

a) Não meu caro, não tenho. E, é por isso mesmo que aceitei trabalhar com Kardec, que também é o Chico.

b) Você, com seu igrejismo, pelo menos nessa encarnação, não poderá saber a maravilha que é ter um ‘DOIS EM UM’ ao seu lado, com sua agradável presença.

c) Isso me deu uma pequena noção de como Paulo de Tarso se sentiu na estrada de Damasco. Era nada menos que Jesus.

d) Gostaria ainda de fazer a seguinte pergunta:

e) VOCÊ NÃO ACHA QUE DE NADA ADIANTARIA ORARMOS, POIS SERIA ABSOLUTAMENTE IMPOSSÍVEL ACESSARMOS A VIBRAÇÃO DE DEUS?

f) Daí a absoluta necessidade de nosso Pai ter seu DIAL.

 

20 – E como é natural, sendo espírita como sou, ciente de que o Espiritismo é a religião dos Espíritos, eu desejaria apresentar, ao Espírito que responde como Kardec, três questões de “O Livro dos Espíritos”, apenas três já é o suficiente para corroborar se o Kardec que está fazendo essas correções é autêntico.

Amigos, não me interpretem mal, estou apenas procurando passar pelo crivo da lógica e da razão tudo o que vier dos homens ou dos Espíritos, e eu entendo que vocês ficarão contentes com minha atitude, pois é isto que nos pede Kardec.

Eu desejaria contatar vocês, pois o meu primeiro passo deve ser conhecer melhor o médium e, sem dúvida, também o Espírito, pois tenho certeza de que muitos confrades desejam a mesma coisa.

 

-Caro José Sola Gomes,

É por respeitá-lo como ser humano, que deixo claro que você só terá esta resposta para me conhecer.

Você não é o primeiro a fazer tais questionamentos.

Nosso grupo tem nove elementos e o trabalho ocorre em um pequeno lugar, que mal pode nos abrigar.

Temos alguns milhares de pessoas que nos acompanham em nosso blog, pois é o único meio de saber quem somos nós.

 

Um grande abraço,

Rosino Caporice

 

Fonte do link do texto do sr. José Sola Gomes:

O Consolador

Fórum Espírita

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: