Home » Destaques, Espiritualismo, Estudos, Kardec corrige

Parte 5: A revisão de “O Livro dos Espíritos” – Livro Terceiro, Capítulo 11

Enviado por on 15/01/2019 – 00:55
hand-1549399_640

CAPÍTULO 11 – LEI DE JUSTIÇA, AMOR E CARIDADE

(leia os capítulos anteriores)

 

Lembremos que por sugestão do Espírito da Verdade e de Kardec, mudamos a colocação “Fora da Caridade não há salvação”, por “Fora da Caridade não há solução”. Repetimos: salvação tem uma conotação mítica e religiosa, e solução dá o verdadeiro sentido para a palavra Caridade, que é ser uma Lei Social por excelência. Assim, toda vez que seja esquecida a correção da palavra “salvação”, em relação à Caridade, entenda-se sempre, solução.

 

I – JUSTIÇA E DIREITO NATURAL

Questão 873

a) Notemos que a Justiça e o Amor são atributos perfeitos e iguais aos de Deus, que recebemos quando somos criados ainda Mônadas Primordiais;

b) Cujos usos aprendemos a desenvolver pela evolução.

 

Questão 874

a) Na resposta lemos: “(…) se misturam paixões ao julgamento, alterando esse sentimento (…)”;

b) Esta resposta explica de forma simples, como as paixões descontroladas e os preconceitos desvirtuam os nossos sentimentos;

c) O ciúme seria o amor desvirtuado pelo egoísmo;

d) Da mesma forma o orgulho e o egoísmo desvirtuam nosso uso da justiça;

e) A cura para isso: para o egoísmo o seu perfeito antídoto – a Caridade – e para o orgulho, a humildade.

 

Questão 875-a

a) Novamente só se pratica a justiça com Caridade e Humildade;

b) O amor só se desenvolve, com o desenvolvimento da virtude da Caridade;

c) E a justiça com a virtude da humildade;

d) Logo, Caridade e Humildade são as duas faces de uma mesma moeda.

 

Questão 876

a) Notemos que esta questão explica que o sentimento de uso da justiça se desenvolve em nós, com o desenvolvimento de nossa noção de direitos;

b) E isso desenvolve em nós o autoamor;

c) Quando Jesus nos ensinou a usar esse autoamor para avaliarmos se o que estivéssemos fazendo para nosso próximo era certo, ele mostrou que esse seria o maior senso de justiça que poderíamos ter;

d) Pois assim estaríamos respeitando os direitos dos outros, como queremos os nossos respeitados;

e) E estaríamos ao mesmo tempo praticando a Caridade;

f) E ao igualarmos os direitos dos outros aos nossos, estaríamos nos igualando a eles,, como filhos de Deus que somos e, praticando a Humildade.

g) Veja, que para deixarmos de ser egoístas e orgulhosos basta apenas respeitarmos para os outros, os mesmos direitos que queremos para nós;

h) E entendendo nossos defeitos, compreenderemos os do próximo, começando a adquirir virtudes;

i) Mais simples impossível. Isto é que é fardo leve! Só mesmo Jesus!

 

Questões 877 e 878

a) Prestar bem atenção, que se as relações humanas nos dão direitos, elas nos trazem junto com esses direitos os deveres;

b) Portanto sem cumprirmos com nossos deveres, não temos direitos a exigir;

c) E isso limita nossos direitos, na exata medida em que limitamos os de nosso próximo;

d) Se fizermos isto seremos justos.

 

Questão 878-a

a) Ver na resposta que os direitos naturais são iguais para todos, independente das condições sociais;

b) E que a autoridade só é dada pela lei natural, a quem tem sabedoria;

c) Que é o que acontecerá em nosso planeta, quando estivermos em definitivo na Regeneração.

 

Questão 879

a) Sem Caridade não há justiça e vice-versa;

b) Ser justo é sempre querer o bem do semelhante;

c) Se isso vale para nós, imaginem para Deus;

d) Adeus demônios, infernos, castigos, etc.

 

II – DIREITO DE PROPRIEDADE. ROUBO

Notar nesse item como respeitar os direitos dos outros, a começar pelo direito a vida.

 

Questão 885

a) Quanto o direito à propriedade, hoje podemos ver claramente quais os limites;

b) Se o maior direito é o direito a vida, então a própria natureza põe limite à propriedade;

c) E esse limite é claramente fixado pelas nossas necessidades;

d) Pois é considerando os próprios limites do planeta, que todos os direitos serão preservados, respeitando o direito de vida digna a todos;

e) Logo, a forma mais velada de posse indevida que podemos praticar, é querermos mais que o necessário, para as nossas condições, que sejam avaliadas dentro do conceito de Caridade.

 

III – CARIDADE E AMOR AO PRÓXIMO

Questão 886

a) Não vamos confundir fazer todo o bem que quereríamos que nos fizessem, com fazer todo o bem que pudessem, para nós;

b) Nem sempre queremos o melhor para nós.

c) Por isto Jesus disse que Deus jamais nos daria uma pedra quando pedíssemos um pão, pois o fato é que muitas vezes nosso orgulho e egoísmo nos leva a pedir pedras, pensando que estamos pedindo pão.

d) Quando somos vítima de um vício em droga, com a falta desta, consideramos um bem quando alguém nos dá tal droga. Mas, não seria um bem, se isto só viesse a agravar minha situação.

 

Questão 887

a) Esta questão explica bem o que é amar o inimigo.

 

Questão 888

a) Vendo como nossa sociedade trata os doentes e enfraquecidos pelo vício, sentimos o quanto estamos longe de Jesus;

b) E o quanto temos que mudar nosso comportamento social, se quisermos ser chamados de Cristãos;

c) Nossas leis sociais tratam nossos carentes com a mais absoluta falta de Caridade.

 

Questão 888-a

a) Belíssima exposição da verdadeira justiça e Caridade;

b) Devemos ler com muita atenção.

 

IV – AMOR MATERNAL E FILIAL

Tirando algumas palavras impróprias, muito bem explicado.

 

Leia também

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: