Home » Destaques, Espiritualismo, Estudos, Kardec corrige

Parte 5: A revisão de “O Livro dos Espíritos” – Livro Quarto, Capítulo 1

Enviado por on 19/01/2019 – 19:00
hand-1549399_642

LIVRO QUARTO – ESPERANÇAS E CONSOLAÇÕES

CAPÍTULO 1 – PENAS E GOZOS TERRENOS (OU “CORREÇÕES E GOZOS TERRENOS”)

(leia os capítulos anteriores)

 

I – Felicidade e Infelicidade Relativas

Questões 920 e 921

a) Vamos entender que em nosso grau evolutivo, estamos longe de entender o que é felicidade completa;
b) Mas relativamente ao nosso estado, podemos sim ser feliz;
É preciso cuidado com os termos inadequados.

 

Questões 922 e 923

a) São importantes;
b) As respostas nos dão a receita para o equilíbrio social e a felicidade possível de todos.

 

Questão 925

a) Deus não beneficia, mas por causa do livre-arbítrio, respeita o mau uso da forma por aqueles que não querem usá-la bem;
b) Em sua onisciência, ele sabe que este será o caminho mais rápido para a evolução de tais filhos;
c) E sendo assim, com o mínimo de sofrimento;
d) Como vimos na primeira parte, os traumas necessários para a correção do mau uso acelerarão a evolução de quem os praticou;
e) Riqueza e miséria são provas com os mesmos graus de dificuldades;
f) A riqueza em si é neutra. O seu bom uso é o bem que dela pode vir;
g) A riqueza não traz a felicidade, mas nos ajuda muito a conquistá-la pelo bom uso.

 

Questão 926

a) “O mais rico é o que tem menos necessidades”, significando que quanto menos necessidades tivermos, mais ricos seremos.
b) A verdadeira riqueza não depende de dinheiro e outros recursos;
c) Mas das poucas e reais necessidades que criamos para nós.
d) Prestar bem atenção nisso: podemos ter muito dinheiro e sermos bastante pobres, e vice-versa.
e) Nossa felicidade ou infelicidade depende disso, respeitando nossas necessidades reais.

 

Questão 928

a) Prestar bem atenção na responsabilidade dos pais, em desrespeitar a vocação dos filhos, criado necessidades que não deveriam fazer parte de suas reencarnações.

 

II – Perdas dos Entes Queridos

a) Quando entendermos que ninguém morre, apenas se muda de plano, entenderemos que nunca se perde ninguém;
b) Ler com atenção a questão 936.

 

III – Decepções, Ingratidão, Quebra de Afeições

Questão 937

a) Vamos lembrar que aqueles que nos causam qualquer tipo de incômodo, são nossos professores rigorosos;
b) Que nos permitem corrigir algo que já fizemos, ou aprender o que não fazer;
c) São sempre nossos amigos disfarçados de inimigos.

 

IV – Uniões Antipáticas

a) Prestar atenção sobre uniões antipáticas e sobre o divórcio.

 

V – Preocupação com a Morte

Questão 941

a) Ver bem o porquê do medo da morte e do materialismo;
b) Ainda o problema de que a morte nos torna fantasmas;
c) E essa é uma das razões de termos medo de morrer.

 

VI – Desgosto Pela Vida. Suicídio

Questão 944

a) Muito importante na explicação sobre o suicídio;
b) E indiretamente sobre o aborto.

 

Questão 946

a) Na resposta lemos: “Deus ajuda os que sofrem e não os que não têm força e nem coragem.”
b) Escreveríamos: “Deus nos ajuda a todos, sempre. Mas ele não faz por nós o que temos que fazer. Daí a necessidade de nosso esforço para usar tal ajuda”.

 

Questão 949

a) Prestar muita atenção sobre as consequências do suicídio.
b) No meio Espírita avalia-se o suicídio como uma situação inexorável de dor e profundos sofrimentos, tendo-se obrigatoriamente que ir para o vale dos suicidas;
c) Tanto a realidade que vemos nos trabalhos de alívio, quanto a resposta desta questão, mostram que não é bem assim.
d) Há uma enorme gama de condições que determinam a situação do suicida, com diferentes formas de correções que se fazem necessárias.
e) A maioria deles não vão para o vale dos suicidas.

 

Comentário de Kardec

a) Ele diz: “Deus é muitas vezes menos inexorável que os homens”;
b) Os atributos de Deus garantem que ele jamais é inexorável.

 

Questões 952 e 952-a

a) Na resposta lemos: “Há bestialidade e falta de coragem (…)”
b) Devemos dizer: “O vício causa nele forte degradação e falta de força de vontade (…)”;
c) Esses casos nem sequer de suicídio inconsciente podemos chamar; isso porque apesar de estarem encurtando a sua vida, eles não têm a intenção de se matar;
d) Se eles fossem realmente suicidas, como suportariam situações de tanto sofrimento e desespero?
e) Se os que não têm preconceito contra eles os respeitam, o que dirá Deus?
f) É uma enorme falta de Caridade tratar tais pessoas como marginais;
g) Eles são doentes e como tal devem ser tratados;
h) Veja a resposta da questão 954.

 

Questão 956

a) Na resposta lemos: “(…) insulto a Deus (…)”;
b) Nada do que fizermos poderá insultar Deus;
c) Só se sente insultado quem é melindroso e, portanto, orgulhoso;
d) Onde ficam os atributos de Deus, se ele se sentir insultado? E a Fé Racional?
e) Deus tem mais o que fazer, do que se insultar conosco.

 

Leia também

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: